PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
27/03/2020 19h32 - Atualizado em 30/03/2020 09h21

56% dos brasileiros acreditam que isolamento social não impedirá propagação do coronavírus

Jéssica Díez Corrêa


Para mais da metade dos brasileiros (56%), o isolamento social não é uma medida eficaz para impedir a disseminação do Covid-19. É o que aponta a quinta onda da pesquisa “Tracking the coronavirus – results from a multi-country poll”. O estudo é realizado semanalmente pela Ipsos e foi conduzido com participantes de 14 nações: Austrália, Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Rússia, Reino Unido, Estados Unidos, Vietnã, China, Índia, Brasil e México.

O representante sul-americano é o quarto colocado entre os países mais pessimistas, ficando atrás apenas de Japão (62%), Índia (61%) e México (59%). Já Canadá, França e Itália são as nações com maior confiança de que o isolamento social pode impedir a propagação da doença, com apenas 34%, 36% e 37%, respectivamente, dos ouvidos de cada país discordando da medida.

 

Fechamento de fronteiras

Outra iniciativa que vem sendo discutida como forma de mitigar a contaminação pelo coronavírus é o fechamento de fronteiras entre países. No Brasil, a medida é amplamente aceita: 86% dos ouvidos localmente concordam que as fronteiras devem ser fechadas até que a doença seja contida. A maioria dos entrevistados em todas as nações compartilha do mesmo pensamento.

 

Os canadenses (87%), italianos (83%) e australianos (83%) são os que mais concordam com a opinião dos brasileiros. Em contrapartida, o índice de aprovação é menor no Japão (66%), nos Estados Unidos (73%) e no Reino Unido (74%).

 

Ameaça à saúde

O estudo também mensurou o grau de ameaça que o Covid-19 representa ao bem-estar físico dos entrevistados. Seis em cada 10 brasileiros (62%) acreditam que, caso fossem infectados, a doença afetaria gravemente a sua saúde. A China, um dos países mais impactados pela pandemia, lidera o ranking dos que mais se sentem ameaçados pelo coronavírus, com 77%. Índia (75%) e Vietnã (74%) vêm em seguida.

 

Por outro lado, os participantes da pesquisa que menos creem que suas saúdes correm sério risco por conta do Covid-19 são os franceses (20%), os italianos (26%) e os japoneses (28%). O levantamento on-line foi conduzido entre os dias 19 e 21 de março e contou com a participação de cerca de 14 mil pessoas, com idades de 16 a 74 anos. A margem de erro é de 3,5 p.p..

 

Sobre a Ipsos

A Ipsos é uma empresa de pesquisa de mercado independente, presente em 90 mercados. A companhia, que tem globalmente mais de 5.000 clientes e 18.130 colaboradores, entrega dados e análises sobre pessoas, mercados, marcas e sociedades para facilitar a tomada de decisão das empresas e das organizações. Maior empresa de pesquisa eleitoral do mundo, a Ipsos atua ainda nas áreas de marketing, comunicação, mídia, customer experience, engajamento de colaboradores e opinião pública. Os pesquisadores da Ipsos avaliam o potencial do mercado e interpretam as tendências. Desenvolvem e constroem marcas, ajudam os clientes a construírem relacionamento de longo prazo com seus parceiros, testam publicidade e medem a opinião pública ao redor do mundo. Para mais informações, acesse: www.ipsos.com/pt-br