PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
24/06/2020 21h16 - Atualizado em 24/06/2020 22h19

Ovo na Alimentação da Gestante: nutritivo, versátil e de fácil preparo

Instituto Ovos Brasil


Em um simples ovo são encontrados nutrientes importantes que se apresentam em quantidades e biodisponibilidades muito interessantes para a nutrição tanto da mãe quanto da criança que está em desenvolvimento gestacional. Nutrientes que são imprescindíveis para garantir a saúde e equilíbrio de um organismo que irá gerar outra vida ou de um pequeno ser que está em fase de crescimento e desenvolvimento.

 

O ovo pode contribuir com boas doses de colina, ácido fólico, ferro, zinco, entre outros, além de fornecer proteínas de alta qualidade, presentes tanto na clara quanto na gema, com poucas calorias e gorduras do bem - aquelas que tem efeitos positivos e protegem o coração.

 

O Benefício do Consumo de Ovo na Gestação

 

Um dos nutrientes mais importantes fornecidos pelo ovo tanto para gestantes, quanto para o feto e para crianças recém-nascidas ou em fase de crescimento é a colina. Duas gemas fornecem cerca de 250 mg de colina, metade das necessidades diárias de uma mulher gestante ou amamentando, e quase toda a quantidade que uma criança necessita por dia.

O consumo de colina é importante, pois as necessidades da gestante nesse momento estão aumentadas devido à transferência de colina via placenta, da concentração do nutriente no líquido amniótico e da utilização pelo embrião para formação de estruturas neurais e cognitivas. A colina, juntamente com o ácido fólico – que também é encontrado entre as vitaminas do complexo B presentes na gema do ovo –, são imprescindíveis nos primeiros meses de gestação para a perfeita formação do tubo neural do feto e do centro cerebral da memória (hipocampo), que influenciará a estrutura e função cerebral em idades mais avançadas.

 

Tanto as mães, quanto os bebês podem se beneficiar da proteína de alto valor biológico encontrada na albumina das claras de ovo. De fácil digestão e absorção pelo organismo, desempenha papel importante no processo de recuperação dos tecidos após o parto e, mesmo ao longo da gravidez, por se tratar de alimento construtivo, fornece matéria-prima para a multiplicação de tecidos no feto e também nas crianças em fase inicial de vida. Importante apenas observar que o consumo de claras é indicado somente após seis meses de idade, para evitar qualquer reação alérgica do bebê.

 

O estado nutricional da mulher grávida desempenha um importante papel no desenvolvimento do feto, muito influenciado pela alimentação, especialmente nas primeiras semanas de gravidez e no período de três a seis meses que antecedem a concepção. Se a gestante apresentar menores reservas nutricionais, há um risco maior do feto e do recém-nascido apresentarem déficit do desenvolvimento neurocognitivo, malformações congênitas, prematuridade, ganho de peso e/ou comprimento insuficientes, levando ao nascimento de crianças pequenas para a idade gestacional (PIG).

 

O ovo é um alimento fonte de proteína de baixo valor energético e com um conteúdo de vitaminas e minerais que, associado a uma alimentação equilibrada, contribui para um melhor estado nutricional.

 

Confira agora alguns componentes do ovo que ajudará as futuras mamães durante todo o processo da gestão:

 

Ácido Fólico na Gestação: é considerado um alimento para o cérebro, como também é um nutriente cujas necessidades ficam aumentadas na gestação - cerca de 50% em relação à mulher adulta. A sua deficiência está relacionada com anemia megaloblástica, ao risco aumentado de partos prematuros e também a defeito do tubo neural. O ácido fólico é um nutriente que faz parte da composição do ovo.

 

Ferro: é um micronutriente não só relacionado ao transporte de hemoglobina, como desempenha inúmeras funções como produção de energia, crescimento celular, melhora da imunidade, atua na síntese de neurotransmissores cerebrais. Durante a gestação, as necessidades de ferro estão aumentadas e, por isso, a alimentação além de equilibrada, deve incluir alimentos que possuem ferro na composição, entre eles o ovo.

 

Vitamina A: possui várias funções no organismo, como participação do processo da visão, crescimento e desenvolvimento, e melhora do sistema imune. As necessidades desta vitamina estão aumentadas no período gestacional, que passam de 700 para 770mg/dia. Uma ingestão adequada de vitamina A durante o período gestacional e lactação melhoram o perfil de vitamina A contido no leite materno. Estudos mostram ainda uma associação ou sinergismo entre vitamina A e ferro, isto é, ingestão de vitamina A melhora o perfil de ferro no organismo.

 

Selênio: é um nutriente antioxidante relacionado com o metabolismo e regulação da glicose e diminuição da resistência à insulina. As necessidades no período estão aumentadas de 55 para 60mcg/dia. O ovo possui cerca de 31mcg em cada 100g do alimento, e por isso é um importante alimento que pode contribuir para um melhor estado nutricional da mãe e do feto.

 

O ovo é um alimento de fácil acesso e saboroso que faz parte de inúmeras receitas. Além disso, proporciona saciedade e pode ser naturalmente incluído em lanches intermediários: oferece nutrientes, sacia e evita os beliscos que podem ocorrer ao longo do dia.

 

Coma ovo. Seu corpo agradece.