PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
03/08/2020 11h51 - Atualizado em 05/08/2020 08h07

Bolsa Família alcança 14,283 milhões de famílias em julho

Ministério da Cidadania


O programa Bolsa Família chegou a 14,283 milhões de famílias em todo o país no mês de julho. O pagamento iniciado no dia 20 segue até 31 de julho.

 

Mais de 95% do público beneficiário recebeu o Auxílio Emergencial do Governo Federal destinado às pessoas mais vulneráveis para ajudar no enfrentamento da crise causada pelo novo coronavírus.

 

Com esse recurso, a renda média das famílias foi de R$1.115,05, num investimento de mais de R$ 15,1 bilhões do Governo Federal.

 

Das 14,283 milhões de famílias, 704.125 permaneceram na folha de pagamento regular do programa, o que representa um aporte de R$ 112,7 milhões por parte do Governo.

 

A lei determina que o pagamento do benefício seja o financeiramente mais vantajoso para o beneficiário, entre Bolsa Família e Auxílio Emergencial.

 

As regiões historicamente mais vulneráveis são as maiores contempladas pelo benefício. A região Nordeste concentra o maior número de beneficiários.

 

Ao todo, são sete milhões de famílias, e mais de 6,8 milhões receberam via Auxílio Emergencial, num investimento de R$ 7,6 bilhões.

 

Três estados da região tiveram repasses superiores a R$ 1 bilhão: Ceará (R$ 1,08 bilhão), Pernambuco (R$ 1,17 bilhão) e Bahia, com R$ 1,84 bilhão.

 

A região Norte conta com mais de 1,7 milhão de famílias beneficiárias, o que representa 12,58% do público do programa.

 

O investimento supera os R$ 2 bilhões.

 

Impacto

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Covid-19 realizada pelo IBGE para estimar os impactos da pandemia do novo coronavírus na saúde e no mercado de trabalho demonstrou que o rendimento mensal por pessoa moradora do Nordeste do país aumentou em 23,6%, passando de R$ 687,77 para R$ 868,29.

 

Na região Norte, o incremento registrado foi de 26,2%, elevando de R$ 707,35 para R$ 874,28.

 

A Caixa Econômica Federal informou que R$ 136,3 bilhões já foram creditados via Auxílio Emergencial para 65,3 milhões de pessoas.

 

São 19,2 milhões aprovadas via Bolsa Família, 10,5 milhões pelo Cadastro Único e 37,2 milhões por meio de site ou aplicativo.

 

Ao todo, são mais de 126,2 milhões de pessoas beneficiadas direta ou indiretamente, levando em conta os contemplados e familiares. O número representa mais de metade da população brasileira.

 

A garantia da renda mínima aos brasileiros durante o período da pandemia foi possível graças a três repasses do Executivo Federal via medidas provisórias.

 

Em abril, foram destinados R$ 98,2 bilhões e R$ 25,72 bilhões. Já no dia 26 de maio, o Governo Federal assegurou mais R$ 28,7 bilhões pela MP nº 970.

 

Com isso, o programa atingiu o patamar financeiro de R$ 152,62 bilhões. No fim de junho, o Governo Federal optou pelo pagamento de duas parcelas adicionais do Auxílio Emergencial.

 

 
Diretoria de Comunicação - Ministério da Cidadania