PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
14/08/2020 07h09 - Atualizado em 15/08/2020 12h35

6,2 mil empresas fecharam as portas no primeiro semestre desse ano em MT, saiba o que fazer para evitar ser mais uma nas estatísticas

Renato Lopes Aranha


De acordo com a Junta Comercial de Mato Grosso (Jucemat), o estado de Mato Grosso registrou no primeiro semestre deste o fechamento de 6.217 empreendimentos.



"A cultura das empresas terá de mudar, não poderá mais carregar qualquer falha na estrutura dos produtos e custos operacionais. A margem está apertada e a solução da empresa será de dentro para fora. O preço de venda quem decide é quem compra", afirma Renan Galdino, que, junto com o economista Luiz Lourenço, estão a frente da consultoria empresarial Renan Galdino, a qual tem como objetivo ajudar as empresas a não quebrarem durante a pandemia.



Para quem se encontra em um momento de dificuldade e está buscando dicas de como atravessar a crise atual, o consultor Renan Galdino explica alguns tópicos importantes que podem ajudar nos negócios:



Adiando o pagamento do Simples
Para quem está enquadrado na modalidade do Simples, o governo federal prorrogou o prazo de pagamentos das notas, o que pode ajudar nesse período de isolamento. Para não demitir os funcionários, as empresas podem entrar em um acordo e reduzir a jornada e o salário dos colaboradores pela metade.

- Procure se capacitar
Que tal reservar um tempo do dia para realizar um curso de capacitação? Busque algo que possa ser possível encaixar em sua rotina, pois quando a situação melhorar, os empreendedores que estiverem mais capacitados e preparados vão conseguir se levantar mais rapidamente.

- Interação com os clientes
É extremamente importante manter-se próximo aos clientes. Para quem oferece serviços, usar as redes sociais para conversar e interagir com os seguidores é uma ótima alternativa e costuma dar resultado. Vídeos, imagens e outros recursos chamam a atenção no feed e, consequentemente, atrai mais público.

- Promoções
Com o receio de gastar agora e não ter uma economia futuramente, muitos não estão comprando como antes. Por isso é fundamental fazer promoções. Sabe aquele produto que já está há um bom tempo no estoque? Então, esse é o momento de colocar um preço atrativo e fazer com que ele tenha procura. Diversificar o estoque também é importante, então vale a pena ver o que os consumidores estão buscando nesse período.

- Pesquise opções de créditos
Sem recursos para solicitar crédito? A solução é pesquisar bastante quais são os bancos que estão oferecendo modalidades diferenciadas, com as maiores carências e os menores juros para iniciar o pagamento.

- Negocie contas
Mantenha o controle do caixa e procure reduzir custos nesse momento. É possível negociar o aluguel do espaço, reduzir a conta de energia e os contratos com serviços terceirizados.

- Redes Sociais
Utilize as redes sociais ao seu favor e explore canais de vendas online. Com receio por conta da pandemia, muitas pessoas estão comprando apenas via delivery, então o importante é oferecer preços atrativos e diferenciais para se destacar da concorrência.

- Organize as despesas
Projetar despesas e receitas dos meses subsequentes: o ideal é separar as despesas pelo tipo de gasto. Dessa forma é possível saber a quantia necessária para cada despesa e o quanto será preciso para manter o negócio pelos próximos meses.

 

Sobre Renan Galdino Consultoria Empresarial

Com anos de experiência no mercado, a Renan Galdino Consultoria Empresarial conta com uma equipe de especialistas atuando nas áreas de Gestão e Reestruturação Financeira Empresarial, Renegociação de Passivos, Recuperação Judicial, Diagnóstico Empresarial, Crédito e Reestruturação de processos fabris, entre outros.
Site: www.renangaldino.com.br

 

Sobre Luiz David Lourenço
Economista, pós-graduado em finanças empresariais pela FEA-USP e Banking pela FGV, possuí mais de 37 anos em instituições financeiras, sempre ocupando posições estratégicas.

 

Sobre Renan Galdino
Gestor de empresas, pós-graduado em controladoria pela FHO, MBA em gestão estratégica de negócios pela FGV, especialista em gestão e reestruturação de empresas, administrador judicial pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, mais de 10 anos de experiência à frente da gestão de empresas em crise.