PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
10/09/2020 07h14 - Atualizado em 10/09/2020 08h16

Atletas das seleções feminina e masculina receberão premiações iguais, anuncia CBF

assessoria CBF


Na quarta-feira passada (02/09), durante uma coletiva de imprensa, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) revelou a paridade entre os pagamentos feitos aos jogadores e jogadoras das seleções brasileiras principais. A novidade chega logo após a admissão de duas novas coordenadoras de futebol feminino da CBF, Aline Pellegrino e Duda Luizelli. Aline, anteriormente diretora da modalidade na Federação Paulista de Futebol, vai assumir o desenvolvimento do futebol feminino e do calendário de competições. Já Duda era diretora de Futebol Feminino Internacional, e agora passa a assumir o posto de coordenadora das seleções femininas. A novidade sobre a equiparação de pagamentos é inédita na modalidade nacional, fornecendo às atletas valores iguais aos pagos aos jogadores em premiações e diárias em períodos de preparações de jogos.

 

Mesma convocação, mesmo valor

Segundo Rogério Caboclo, presidente da CBF, "desde março deste ano, a CBF fez uma igualdade de valores em relação a prêmios e diárias entre o futebol masculino e feminino. Ou seja, as jogadoras ganham a mesma coisa que os jogadores durante as convocações. Aquilo que eles recebem por convocação diária, as mulheres também recebem. Aquilo que elas vão ganhar pela conquista ou por etapas das Olimpíadas ano que vem será o mesmo que os homens vão ter". Durante a primeira convocação da seleção Brasileira Feminina em 2020, a equidade de pagamento foi adotada. No Torneio Internacional da França, que ocorreu em março, as jogadoras receberam o mesmo pagamento que é dado aos atletas masculinos durante o período de convocação.

 

Já na Copa do Mundo Feminina FIFA 2019, a CBF garantiu uma premiação inédita à Seleção por conta do bom desempenho no torneio. Já para o próximo mundial, planeja-se que as premiações sejam equivalentes. Esses campeonatos sempre atraem milhares de torcedores, que muitas vezes vão além e buscam como obter bônus de registro em casas de apostas, que permitem que façam sua fezinha na seleção favorita. "Aquilo que os homens receberão na próxima Copa do Mundo será proporcionalmente igual ao que é proposto pela FIFA. Não há mais diferença de gênero, pois a CBF está tratando de forma igual homens e mulheres". concluiu Caboclo.

 

Igualdade de pagamento - Adidas x Seleção Estadunidense

Uma das principais empresas do ramo esportivo, a Adidas, também igualou a bonificação paga a atletas masculinos e femininos durante a Copa do Mundo de futebol feminino. Aproveitando o Dia Internacional da Mulher para evidenciar a importância desse público e lançar a campanha "she breaks barriers", a Adidas divulgou o feito histórico para a indústria do esporte. Em suas redes sociais, a companhia esportiva anunciou que as atletas patrocinadas por ela que vencerem a copa do Mundo, receberão o mesmo bônus pago aos seus colegas de profissão masculinos. Segundo um dos membros do conselho executivo da empresa, Eric Liedtke, "acreditamos em inspirar e capacitar a próxima geração de atletas, criadores e líderes do sexo feminino por meio da quebra de barreiras. Hoje anunciamos que todos os atletas da Adidas da equipe vencedora da Copa do Mundo Feminina de 2019 receberão o mesmo bônus de desempenho de seus pares masculinos".

 

Na época, a iniciativa da empresa se tornou ainda mais emblemática já que no mesmo dia a seleção feminina dos Estados Unidos entrou com um processo contra a Federação de Futebol do país (US Soccer). Todas as jogadoras da equipe assinaram um processo que foi apresentado em uma corte federal em Los Angeles, onde elas exigiam igualdade de salário e mesmas condições de trabalho dada aos selecionados do gênero oposto.

 

No processo, as jogadoras alegaram a existência de discriminação de gênero institucional na US Soccer, e que isso afeta o local onde elas jogam e treinam, o tratamento médico recebido, o quanto viajam para jogos, e o quanto ganham.