PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
25/06/2018 16h43

Governo e produtores buscam solução para setor aviário em Campo Verde

Luzia Araújo | Gcom/MT


Com o intuito de continuar com a atividade avícola no município de Campo Verde, o governador Pedro Taques se reuniu com representantes do setor e o prefeito, Fábio Schroeter, nesta segunda-feira (25.06), no Palácio Paiaguás, em Cuiabá.

 

De acordo com o presidente da Associação Campoverdense de Avicultura, Clodoaldo Gomes Lima, há 13 dias a empresa BRF paralisou as atividades de avicultura na cidade. “Desde 13 de junho não temos alojamento de pintinho. Então, serão abatidos somente os lotes que estão nos aviários. Isto nos motivou a vir aqui pedir um apoio junto ao Governo do Estado, para buscar novos investidores, para continuarmos com a atividade avícola na cidade”, explicou Clodoaldo, ressaltando que existem 206 aviários e 76 produtores em Campo Verde, atualmente.

 

Para o presidente, a paralisação acarretará em um problema social no município. “A decisão da empresa gerou um desemprego de 500 pessoas na cidade, fora a arrecadação. É um desgaste social-econômico muito grande, destruindo a vida de muitos trabalhadores. São 25 anos de atividade avícola, que da noite para o dia foram acabados”, disse.

 

Já o prefeito de Campo Verde, Fábio Schroeter, disse que a decisão da empresa de encerrar a atividade no município foi bastante técnica, porém destacou que a atividade é importantíssima para a cidade, que possui uma cultura em relação a criação do frango de corte.

 

“Não existe problema algum com o nosso município. Temos o melhor clima, avicultores e cultura. Então, com esta empresa ou outra na minha percepção é que a atividade vai continuar. A participação do Governo do Estado é importante nisto, porque sabemos que o Estado possui condições de oferecer alguns incentivos, que são importantes para quem trabalha neste setor, e possui muitos contatos. Achamos que o governador pode contribuir bastante para resolver isto, porque o impacto já está acontecendo”, destacou o prefeito.

 

Presente na reunião, o secretário adjunto de Agricultura da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Alexandre Possebon, pontou que o Governo do Estado irá levantar possíveis investidores para assumir a operação e, ao mesmo tempo, dialogar com a empresa que paralisou as atividades.

 

“Temos duas linhas de trabalho: tentar facilitar a negociação para entrar um novo investidor e sensibilizar a empresa, se não for retomar, de oferecer um prazo maior para não ter este aspecto devastador que possa ter na economia da cidade”, disse.